logoaspas-mr.png
DGERT - LOGO CORES.png
sigo.png
Faces-Isabel-Guimarães_School_Banner.jpg
iaoth-logo2.png
  • issue
  • Facebook Basic Black
  • Black Google+ Icon
  • Black LinkedIn Icon
  • Twitter Basic Black
  • Black YouTube Icon

©2019 Faces Isabel Guimarães. Todos os direitos reservados. 

OS 12 PLANETAS

O termo planeta, quer dizer «errante». Astronomicamente, os planetas são os corpos celestes que giram em torno do Sol refletindo a sua luz. No seu conjunto formam o Sistema Solar. Podem ser divididos em:

Interiores (entre a Terra e o Sol): Mercúrio e Vénus;

Exteriores (para além da Terra): Marte, Júpiter, Saturno, Úrano, Neptuno e Plutão.

 

O estudo das suas posições planetárias, quer no momento do nascimento (mapa natal), quer ao longo da vida da pessoa (trânsitos e progressões), constitui a base da pesquisa astrológica. Considerando as suas velocidades orbitais, os planetas mostram os seguintes tempos de ciclo fazendo a sua volta à faixa zodiacal:

Sol | 365 dias
Lua  |  cerca de 28 dias

Mercúrio   88 dias

Vénus   243 dias (Enquanto que a maior parte dos planetas rodam sobre si próprios no mesmo sentido, Vênus é uma das exceções. Tal como Urano e Plutão, a sua rotação é retrógrada, o que significa que em Vênus o Sol nasce a leste e põe-se a oeste.)

Marte   23 meses

Júpiter  |  cerca de 12 anos

Saturno  |  de 28 a 30 anos

Úrano  |  cerca de 84 anos

Neptuno  |  cerca de 165 anos

Plutão  |  cerca de 248 anos

Karl Kuhr, diz que em cada um de nós há uma série de forças em ação que correspondem a forças cósmicas. Assim, não devemos imaginar qualquer planeta no céu como responsável, de modo direto, pelo que nos acontece.

Ao invés disso, é a força dentro de nós que se harmoniza com o planeta e faz as coisas acontecerem. Não devemos pensar que Marte, lá em cima, nos torna agressivos. É a nossa força correspondente que nos leva, por vezes, a gerar conflitos com os outros.

Por conseguinte, os planetas representam determinados fatores psíquicos (Mercúrio para a razão, Vénus para a valorização, Marte para a ação, etc.), que são os formadores dos padrões que tentamos soltar no exterior «pensando», «valorizando» e «agindo», através de uma imensidade de formas diferentes.

Contudo, porque cada pessoa funciona dentro de uma determinada conjuntura social, política, educacional, religiosa, etc., não é possível saber, através do mapa natal, a que nível esses padrões se vão manifestar.

 

Na verdade, um mapa natal «forte» tanto pode ser o de Napoleão, que tentou tiranizar a Europa do século XIX, como o de um chefe que tiraniza os seus subordinados. Embora as energias dos planetas não induzam traços fixos, preservam as qualidades em todas as circunstâncias, sendo que a forma (não o nível) como expressam as vibrações é determinada pelo signo onde se encontram.

PESSOAIS OU DO CONSCIENTE (INTERIORES)

SOL, LUA, MERCÚRIO, VENUS E MARTE

 

SOCIAIS (EXTERIORES)

JÚPITER E SATURNO

 

IMPESSOAIS OU TRANSATURNINOS

URANO NEPTUNO E PLUTÃO

 

Dentro dos planetas, precisamos saber os seus movimentos, aqui destaco:

Planeta Direto: Diz respeito ao sentido do movimento dos planetas, por oposição ao sentido retrógrado ou anti-horário. Flui a sua energia.

Planeta retrógrado: Os planetas deslocam-se no espaço com velocidades variadas e a duração da sua órbita é tanto maior quanto mais afastada está do Sol. Devido a este facto, quando observados da Terra, os planetas dão a sensação de que, ciclicamente e durante um certo período, começam a perder velocidade, param e invertem o sentido do seu movimento. Retardam o fluxo da sua energia.

O Sol: Fonte de Vida

O glifo do Sol consiste do círculo com o ponto no seu centro

» O disco solar mostra a efusão da força da Vida (o círculo), através da abertura do ponto. Assim, a energia criativa potencial do Absoluto emerge em manifestação. O ponto também representa a centelha criativa da Consciência Divina, existente no interior de cada um de nós, unindo o Homem à Fonte de Luz e tornando-o um co-criador, no Plano Universal.

 

» O Sol é 99,9% da massa do Sistema Solar. A vida que existe no planeta Terra é a vida que habita o Sol. Todos os átomos de nosso Ser “vibram” na frequência do nosso signo solar.

 

» A sua importância no mapa astrológico é fundamental, mostra-nos a natureza e qualidades de energia que somos constituídos. A nossa luz interior brilha através do Sol: a Solaridade, vitalidade, a capacidade de afirmação individual permite solar a própria vida. Quando nos perguntam: - Qual é o seu signo? Respondemos prontamente: - Eu Sou Gémeos, Leão, ou Virgem! E tudo aquilo que representa tal afirmação. O signo do Sol descreve, por sua composição genérica, a maneira de ser de cada um, o que dá a cor, o tom, a luz e energia para a manifestação de toda a sua vida.

 

» Sua Individualidade é a essência de seu ser. Entretanto, a maioria das pessoas não está em verdadeiro contacto com a sua Fonte, tendo apenas perceção de pensamentos e emoções transitórios. Uma vez que não relacionam tais pensamentos e emoções a um todo maior, elas levam uma vida de momentos separados. Uma pessoa em sintonia com seu Eu interior – isto é, o que é simbolizado pelo Sol - não se deixa enganar por uma imagem fugaz ou uma sensação passageira.

 

» O Sol é também o ponto focal para a integração e coordenação das muitas facetas do ser do indivíduo. No horóscopo natal, um Sol mal posicionado ou fraco, pela posição na Casa ou aspeto, geralmente resulta em enfermidades crónicas e uma falta geral de vitalidade, assim como um desequilíbrio generalizado na vida do individuo.

 

» O Sol é a Vontade de Ser de uma pessoa sendo, desta maneira, o gerador de toda a energia da vida. A canalização do seu potencial permite à pessoa expressar o verdadeiro Eu no mundo exterior e atrair uma força ilimitada daquela Fonte inesgotável. As finalidades para as quais essa força fluí são um fator determinante vital no destino da pessoa. Para um humano, o Sol é como o núcleo para o átomo. Mesmo que pensamentos, emoções e funções físicas constituam aspetos separados do seu ser total, cada um de nós capta energia do centro (Sol), a fim de preencher seu particular propósito na vida. Este centro corresponde ao coração, no corpo físico. O Sol também está associado ao sistema circulatório, à medula espinhal e ao crescimento em geral.

O Sol é também o regente do signo de Leão e de todas as questões da Casa V. Ele relaciona-se a inúmeras posições de autoridade, como magistrados, príncipes, líderes religiosos e espirituais. No mapa feminino, o Sol representa os homens na vida de uma mulher, o marido em particular. No mapa dos dois sexos, o Sol é frequentemente relacionado ao pai ou à imagem do pai. O Sol é o fator masculino, ativo e criativo, no mapa natal de qualquer pessoa; é a "centelha de vida".

 

Orbe: 15º

Velocidade média: 0º59’

Ciclo zodiacal: 365 dias

Dia da semana: Domingo

A Lua: Sustentáculo da Vida

Enquanto o Sol representa a energia criativa infinita, disponível a um indivíduo, a função da Lua é dar uma forma a essa energia e tornar o potencial uma realidade. O símbolo da Lua é Q crescente – a união das duas metades do círculo, que agora está quebrado. Um semicírculo representa a Consciência Divina, o outro a consciência humana. A junção destas duas forças dá origem à personalidade.

 

» A Lua é o astro mais próximo da Terra, a última instância para a chegada de todas as ondas e energias cósmicas ao nosso mundo mais íntimo e pessoal. É um filtro pelo qual passam sentimentos e emoções, a nossa recetividade, a forma básica e pessoal de sentir e reagir afetivamente.

 

» É o nosso senso de pertencimento a um núcleo, ninho, família, capacidade de vinculação. A relação primordial entre a criança e a mãe. As lembranças afetivas, memórias da alma. Regula todos os ritmos inconscientes do nosso metabolismo, influenciando os nossos estados de humor, a nossa capacidade de adaptação e mudança, assim como a nossa mobilidade e versatilidade e estabilidade emocional. Evoca a imaginação e os diferentes estados da alma.

 

» Exatamente como a Lua percorre muitas fases, quando vista da Terra, na nossa vida diária também percorremos inúmeras fases, em termos de relacionamentos com circunstâncias externas da vida, dependentes do estímulo. Por exemplo, reagimos de uma forma aos nossos pais, de outra a uma pessoa amada, de um terceiro modo a um inimigo, etc.

 

» Resumindo, cada um de nós possui uma infinidade de meios para a autoexpressão. Com grande frequência, as mudanças que sofremos são instintivas ou socialmente condicionadas.

 

» É através da personalidade que o Homem alcança a flexibilidade, porém é também necessário, ao ser evoluído, poder usar a personalidade como uma ferramenta da essência (força solar), em vez de identificar tais fases transigentes como a fonte do Eu. Em adição ao importante significado da influência lunar, a Lua representa a vida doméstica e relacionamentos com a família. Ela personifica a mãe e, no mapa natal de um homem, tem muito a ver com as mulheres em geral e a sua esposa em particular.

 

» A Lua também indica identificação com o público, além de expressar o grau de conexão com origens étnicas e tradições.

 

» A força ou fraqueza relativas da Lua no mapa natal tem um propósito direto sobre a natureza da imaginação, de simpatias e de um senso de auto preservação. No corpo físico, a Lua rege os seios, o sistema nervoso simpático e o fluxo de secreções orgânicas; está intimamente associada aos CICLOS e órgãos reprodutivos femininos.

 

A Lua rege o signo de Caranguejo e todas as questões pertinentes à Casa IV. Relaciona-se a todas as atividades ligadas à terra, alimentos e filhos, tendo íntima conexão com o oceano, sua flora e sua fauna.

 

Orbe: 12º

Velocidade média: 13º11’

Ciclo zodiacal: 27,5 dias

Dia da semana: Segunda-Feira

Mercúrio: Comunicador de Vida

O símbolo de Mercúrio representa a força da inteligência ativa. O círculo simboliza a fonte de energia que dá vida à mente.

 

» A mente recebe impulsos de duas direções, indicadas pela cruz abaixo e o semicírculo acima. A primeira indica atividades terrenas e o relacionamento da mente racional ao seu meio ambiente. O crescente simboliza os aspetos elevados da mente: o elo do Homem ao verdadeiramente original e inspiracional. Neste sentido, podemos ver como os indivíduos mercurianos são classificados em duas amplas categorias: o imitador e o génio.

 

» O Mercúrio é o planeta mais próximo do Sol. O primeiro que recebe a sua luz, informação e energia e transmite para os outros, estabelecendo sinapses, relações, comunicação, tanto no sentido prático, como no intelectual.

 

» É o símbolo do intelecto. Representa a palavra, a fala e a escrita, a organização da informação, a ordenação, os processos e metodologias, o discernimento e o processo de aprendizagem: inteligência.

 

» A mente racional é esse dom especial da Humanidade que a distingue do reino animal. A função de Mercúrio é permitir que o Homem isole a sua natureza puramente instintiva, através do processo lógico do raciocínio. Em adição, a posição de Mercúrio no mapa indica a aptidão geral de uma pessoa em comunicar ideias, através da palavra escrita ou falada.

 

» Mercúrio não tem par, porque é dual em si mesmo; nos signos masculinos predomina a sua natureza analítica. Nos femininos, a aptidão para sintetizar é a força mais intensa atuante. Assim, a sua regência natural é sobre o masculino Gémeos (a ideia) e a feminina Virgem (a forma que a ideia toma).

 

» Mercúrio confere ao Homem a necessidade de saber. Ele o leva a questionar e o faz sondar o mundo externo das aparências. Se Mercúrio se torna uma força por demais influente, no entanto, surge uma tendência impedindo que os aspetos mais elevados do ser de uma pessoa (os centros institucionais e psíquicos) invadam a perceção.

 

» No corpo físico, Mercúrio associa-se intimamente ao sistema nervoso, ao aparelho respiratório e, em especial, aos pulmões.

 

Mercúrio é regente de Gémeos e Virgem, bem como de todas as questões pertinentes às Casas III e VI. Tem relação com as atividades ligadas aos campos educacionais, viagens, escritos, trabalho burocrático e todos os tipos de agentes e agências.

Como "Mensageiro dos Deuses (Planetários)", Mercúrio está integralmente ligado à transmissão de impulsos de todos os aspetos do Ser para a mente consciente.

 

Orbe: 7º

Velocidade média: 0º59’

Ciclo zodiacal: 88 dias

Dia da semana: Quarta-Feira

Vênus: A Beleza da Vida

O glifo de Vénus é a cruz encimada pelo círculo.

 

» Esta combinação de elementos indica que o Espírito é matéria inspiradora para formas de expressão cada vez mais perfeitas. Também representa a predominância de aspirações mais altas sobre os desejos sensuais e materiais terrenos. Isto pode ser chamado de magnetismo pessoal. Vénus tenta "limar as arestas", a fim de que as experiências de vida sejam tornadas mais belas. Vénus é aquele aspeto da pessoa que pode ser classificada como artista, romântica, poeta.

 

» Suas vibrações funcionam inteiramente através dos sentimentos; neste sentido, Vénus é a encarnação do amor, dos sentimentos e o desejo por união. Vénus é o primeiro planeta, na direção da Terra para o Sol.

 

» Relaciona-se com o que selecionamos e interiorizamos, levamos para o íntimo, para a intimidade. Diz respeito às nossas escolhas e habilidade para a seleção e preferências de parceiros. A apreciação e valorização de coisas materiais e imateriais: o belo, o nosso senso de harmonia e beleza, de simetria, o sentido de estética, a ética nas relações sociais, que correspondem à perfeição e elegância de seus ciclos perfeitos com o Sol, que desenham no céu uma estrela de cinco pontas e que regem o ciclo da vida, o prazer nas relações, atração sexual, o magnetismo, erotismo, a amorosidade.

 

» Assim, uma Vénus mal colocada no mapa natal pode dar margem a dificuldades no amor e no dinheiro. Com frequência, uma posição controvertida deste planeta demonstra a necessidade do indivíduo em aprender o verdadeiro significado do dar e partilhar. As vibrações de Vénus manifestam-se em sua maior pureza, quando no signo de Peixes. É então que o egoísmo fica transmutado em generosidade e o amor pessoal torna-se no amor universal.

 

» No corpo físico, Vénus governa o sistema venoso, os rins e o aparelho urinário, sendo associada à beleza física em geral.

 

Vênus é regente de Touro e Balança, bem como de todas as questões pertinentes das Casas II  e VII. Relaciona-se a todas as ocupações que dizem respeito às artes e à música, assim como às áreas associadas à beleza, joias e desenho de modas. Em adição, a sua regência taurina coloca o planeta em íntimo contacto com plantas e atividades ligadas à natureza.

 

Orbe: 7º

Velocidade média: 0º59’

Ciclo zodiacal: 243 dias

Dia da semana: Sexta-Feira

Marte: Projetor de Vida

O glifo para Marte representa a polaridade do símbolo de Vénus.

 

» O símbolo mais antigo, revela a cruz da matéria colocada sobre o círculo do Espírito, mostrando a tendência dos desejos da carne em dominarem aspirações mais elevadas. Assim, as necessidades do indivíduo tornam-se mais importantes do que as da Humanidade.

 

» Em seu aspeto superior, no entanto, Marte representa a emergência de novas formas de autoexpressão, resultantes da interação entre Espírito e matéria. Se aplicadas com sabedoria, tais formas podem ser inspiradoras, apontando o caminho para um progresso interior. Com frequência, a influência de Marte, no mapa em geral, indica o desejo de comandar e exercer alguma forma de poder sobre os outros. Neste sentido, as vibrações do Planeta Vermelho podem ser resumidas como a força ativa do ego, expressando-se no ambiente imediato.

 

» Marte é o primeiro planeta que se exterioriza na direção Sol – Terra – espaço sideral, e faz a órbita (a ronda) em torno da Terra e do Sol. Representa a força de exteriorização e de conquista do guerreiro, a nossa agressividade, e habilidade de nos impor, defender e de nos afirmar no mundo. É como um vetor – energia aplicada numa direção focal. É a nossa coragem de fazer cortes, ruturas, de tomar a decisão - a prontidão para a ação. O impulso espontâneo e habilidade de fazer vingar a vontade. A força masculina da libido.

 

» Marte é o impulso sexual, a ânsia de singularização, como oposta à unificação com outro ou com alguma causa maior. Marte é a necessidade de sobrepor-se à multidão e causar impressão no próprio ambiente. Vénus é a pacifista, Marte o belicista.

 

» Quando estes dois corpos se unem harmoniosamente no mapa, o resultado é um equilíbrio de forças que, se bem canalizadas, resultam numa perceção íntima de quando ser cooperante e quando ser agressivo.

 

» Em geral, as pessoas precisam de um Marte relativamente forte (mas não esmagador) em seus mapas; ele confere a coragem e a vitalidade necessárias para que a pessoa suporte as pressões da vida.

 

» Marte é o ímpeto para vencer e ter êxito. Ele concede a aptidão para o nativo lutar pelo que deseja e, quando especialmente bem colocado no mapa natal, uma facilidade para a pessoa enveredar através da confusão e da "burocracia" da vida.

 

» No seu aspeto inferior, Marte representa o que é animal no Homem – ímpetos emocionais básicos e agressividade instintiva. No seu aspeto superior, ele é a parte do Eu com a função de gerar novas formas de criatividade, através da destruição daquilo que deixou de ser útil.

 

» No corpo físico, Marte rege os glóbulos vermelhos, os órgãos reprodutores masculinos externos, o nariz, os tecidos musculares e o aparelho excretor.

 

Marte é o regente predominante de Carneiro e co-regente de Escorpião. Também tem muito a ver com as questões da Casa VIII e especialmente da Casa I. Relaciona-se a todas as ocupações relacionadas com a guerra e uso de armas e ferramentas aguçadas, bem como algumas formas de pesquisa e cirurgia.

 

Orbe: 8º

Velocidade média: 0º31’

Ciclo zodiacal: 23 meses

Dia da semana: Terça-Feira

Júpiter: a Sabedoria da Vida

O glifo do planeta gigante é composto pelo semicírculo da Lua (= alma) erguendo-se acima da cruz da matéria. Júpiter representa o estágio no desenvolvimento do Homem em que a alma triunfou sobre suas experiências na Terra (a cruz), tendo obtido, através dessas experiências, a sabedoria que confere a perceção da Lei Universal, aplicada à vida terrestre.

 

» Através dos raios de Júpiter, o Homem liberta-se de opiniões restritivas e pessoais, de maneira a poder agir com imparcialidade, graças à sua compreensão da Verdade.

 

» Júpiter é o maior planeta do sistema solar. A busca do significado e de um objetivo/propósito maior para a nossa vida. A visão filosófica construída pela experiência das “grandes viagens”, o desejo de ir além das fronteiras e de novos horizontes, o espírito exploratório do futuro e anseio de expansão da mente. O otimismo, a fé, a confiança definitiva, a religiosidade, a proteção, a graça, a esperança, o senso de justiça. Zeus na versão Mitológica.

 

» Os raios de Zeus-Júpiter manifestam-se através da mente do Homem e ajudam a criar o desejo pela expansão do Eu, em dois níveis. Como o Homem é basicamente dualístico, isto é, composto de um “eu animal” que o prende à Terra e de um ativo “eu Espiritual” que o inspira na direção "dos céus", também os raios de Júpiter atuam dualmente. Portanto, eles podem contribuir para o desejo de alguém em explorar os domínios dos cinco sentidos e/ou conceder a uma pessoa a mente de um filósofo. Eles podem favorecer a atividade sensual descontrolada ou produzir o professor que busca expandir as faculdades do entendimento, a fim de que o Grande Plano possa ser compreendido e ensinado aos outros.

 

» Em adição à sua capacidade para desenvolver os atributos mentais superiores, tal como Vénus, Júpiter é um planeta de boa sorte em geral. Se bem situado no mapa, pode conceder grande abundância material. Se mal situado, ele pode produzir um indivíduo desgovernado, absolutamente autoindulgente. Os raios de Júpiter têm o poder de criar um filantropo, mas quando estes raios estiverem pervertidos, resultarão em cobiça e avareza. Júpiter pode abençoar seu recipiente com uma perceção dos mais profundos significados da vida, em especial aqueles adquiridos através de viagens e instrução superior. Não obstante, se tais pessoas não possuírem um propósito coeso ou elevado, no tocante a seus estudos ou viagens, Júpiter pode contribuir para produzir andarilhos e diletantes.

 

» No corpo físico, Júpiter está intimamente associado ao fígado, às articulações dos quadris e à glândula pituitária posterior, bem como à nutrição celular em geral.

 

Júpiter é regente de Sagitário e co-regente de Peixes. Também é intimamente relacionado às questões das Casas IX e XII (em especial aos aspetos altruístas e religiosos desta última). Júpiter tem conexão com todas as atividades ligadas à lei, religião, educação superior, estabelecimentos bancários e finanças internacionais.

 

Orbe: 9º

Velocidade média: 0º05’

Ciclo zodiacal: 12 anos

Dia da semana: Quinta-Feira

Saturno: Limitações/Desafios da Vida

O glifo de Saturno compõe-se dos mesmos dois elementos de Júpiter, porém as duas partes do símbolo são invertidas.

 

» Assim, pode-se ver que é através das lições de Saturno que o Homem aprende como harmonizar sua imaginação (o semicírculo) com as circunstâncias imediatas de sua vida (a cruz). Os raios de Saturno relacionam-se à Terra. Eles exigem que o indivíduo passe através das provas da existência material, antes de lhe ser permitida a entrada no reino da Alma e no resultante estado exaltado de consciência.

 

» Neste sentido, Saturno simboliza a estrutura de valores que conduzem ao crescimento evolucionário. Em vista disto, este planeta é a "ponte" entre as forças da consciência universal – os planetas extra-saturninos (Úrano, Neptuno e Plutão) – e as forças da existência material e o Eu pessoal – os planetas inter-saturninos.

 

» O “Senhor dos Anéis”, Saturno, é o último planeta visível a olho nu no sistema solar e se relaciona com o “choque de realidade” dos limites tangíveis que nos impomos e que a vida nos impõe. De certo modo é também o nosso “bom senso”, aparentemente restritivo, mas que nos leva a delimitar de modo coerente as metas e objetivos concretos de vida.

 

» Numa subida de montanha, obstáculos e resistências são escarpas no caminho para a elevação da consciência que colocam em evidência a nossa obediência, autocontrole, congruência e convicções morais. É o “cão pastor de ovelhas” que tem o controlo e mantém a ordem no sistema.

 

» Saturno é a resiliência, poder de concentração e resistência, a responsabilidade, o esforço contínuo e determinado, a preparação, severidade, austeridade, seriedade e disciplina, cautela e reserva.

 

» Saturno tem sido muito denegrido, devido a uma incompreensão acerca de seu propósito. Foi chamado de "grande maléfico" e, como Satã, transformou-se no bode expiatório para as energias não regeneradas do Homem. Contudo, Saturno e Satã são apenas as formas projetadas pelas tentações do eu inferior. É pela geração de força suficiente para superar essas tentações, através da autodisciplina, da limitação e redireccionamento do desejo, que ocorre o progresso evolucionário.

 

» Esta concentração na polaridade – "Deus" versus "Satã", o "bem" contra o "mal" – apenas fortifica a desarmonia. Uma das tarefas do Homem é penetrar num plano de consciência isento de dualidade, a fim de que possa ver a unidade e harmonia, na estrutura do Plano Universal. Aí compreenderá que a aparente dicotomia entre os chamados bem e mal não passa de uma ferramenta conduzindo a um estado de equilíbrio perfeito, transcendendo os dois pólos. Neste sentido é que o Homem precisa perceber a função de Saturno no mapa.

 

» Num senso mais pragmático, Saturno força ao cumprimento de obrigações e responsabilidades, a fim de que possa ocorrer o desenvolvimento pessoal. A sua posição no signo, Casa e aspeto aponta o caminho para as lições necessárias, bem como o grau e natureza da autodisciplina ou sua falta.

 

» No corpo físico, Saturno rege a pele, joelhos, dentes e ossos, sendo intimamente relacionado aos órgãos da audição.

 

Saturno é regente de Capricórnio e co-regente de Aquário. Também está associado às questões das Casas X e XI. Relaciona-se com todas as ocupações ligadas a edificações e arquitetura, bem como negócios bancários, finanças, funcionários públicos e pessoal de supervisão.

 

Orbe: 9º

Velocidade média: 0º02’

Ciclo zodiacal: 28 a 30 anos

Dia da semana: Sábado

Urano: Incitador de Vida

O glifo para Urano diz-nos que as vibrações do planeta contêm o elo de ligação entre a Alma do indivíduo (um semicírculo) e a Al­ma coletiva da Humanidade (o outro semicírculo).

 

» Os dois semicír­culos situam-se a cada lado da cruz – significando que a fusão da consciência pessoal com a do grande coletivo conduz ao desenvolvi­mento sobre a Terra (a cruz), que auxiliará na evolução superior do Homem (o pequeno círculo do Espírito).

 

» Urano é o primeiro planeta de outro nível de consciência, além do que é pessoal – o nível transpessoal. É a abertura para uma nova ordem de coisas que transcende e inclui o já conhecido, outra dimensão de perceção da vida, além das fronteiras do universo explorado pelos sentidos de Saturno. É a intuição, a sincronicidade, a presença do acaso, o acidente de percurso, o inusitado, o risco a ser considerado, como “ponte” ou acesso ao que está ainda por vir, a ser descoberto, o “insight”, a inventividade, as ideias inusitadas, brilhantes, geniais, diferenciadas. A travessia para a outra margem mais ampla ainda a ser explorada. É o espírito de liberdade da condição humana para ir além dos limites.

 

» Urano mostra a maneira como o indivíduo pode libertar-se das cadeias da personalidade. Neste sentido, a iluminação pessoal pode ser obtida através da incorporação consciente do ser à consciencialização da entidade denominada Homem. Esta conexão, afinal, conduz a um reino ainda maior de consciência, e aí por dian­te, sem fim.

 

» Em adição ao princípio da intuição, Úrano também funciona na vida de um indivíduo, apontando o rumo para formas particula­res de autoexpressão original. As pessoas especialmente uranianas são os boémios da sociedade. De um modo geral, podemos perceber os raios de Úrano, funcionando com vigor entre as pessoas de após a Segunda Guerra Mundial, na chamada Nova Era. Uma grande maioria dos componentes deste grupo considera francamente prefe­ríveis as formas menos convencionais da autoexpressão individual.

 

» Outras manifestações uranianas são o crescente interesse pelas ciências ocultas por parte do público em geral, abrangendo pessoas de todas as idades, bem como o vasto número de estudantes since­ros destas disciplinas.

 

» Podemos, ainda, enumerar como uranianas as experiências adquiridas através do estilo de vida coletiva, entre as muito diferentes comunidades que surgiram recentemente, neste e em outros países. Num nível pessoal, contudo, as vibrações de Úrano aparecem em bem poucas natividades. Quando isto acontece, ten­dem a produzir o inventor, artista, técnico e ocultista realmente do­tado de originalidade – alguém cuja contribuição se notabiliza, aci­ma da multidão "notável" do mundo atual. Resumindo, é quando nasce uma verdadeira superstição.

 

» No corpo físico, Urano associa-se aos impulsos elétricos do sis­tema nervoso.

 

Urano é o regente de Aquário, estando intimamente ligado às ques­tões da Casa XI. Relaciona-se a todas as atividades envolvendo grupos, associações, amizades. Altruismo.

Neptuno: Inspiração de Vida

O glifo retrata o tridente do Pai Neptuno, sendo composto pe­lo semicírculo da alma, penetrado pela cruz da matéria, daí resul­tando o garfo de três dentes. Os dentes representam o corpo físi­co e os cinco sentidos, o corpo astral ou emocional e os seus dese­jos e a esfera mental inferior e os seus pensamentos egocêntricos.

 

» As vibrações de Neptuno permitem que estas três áreas se tor­nem mais sensitivas, de maneira a que o indivíduo possa elevar estas esferas de seu ser a um nível mais refinado ou correr o risco de ser inundado pela contracorrente submarina da energia não regenerada. Na variação do tridente de Neptuno, o semicírculo é perfurado pelo bastão de vida, de modo a que a personalidade fique liberta de motivações egocêntricas e possa funcionar em cooperação com o Espírito (o círculo pequeno).

 

» Desta maneira, podemos ver neste glifo a infusão da consciência superior, que produz as visões místi­cas (ou alucinações) associadas a este planeta.

 

» Neptuno traz-nos a conexão com um senso de pertença a uma ordem ainda mais ampla que o etnocêntrico, o comunitário, o familiar. Traz a sensibilidade que abre as portas para a caridade, a compaixão, o perdão, as experiências místicas e para o transcendental. Estados especiais de ser, ou estados alterados de consciência, de perceção que trazem revelações, pressentimentos, premonições, e ás vezes ilusões, fantasias, patologias, fanatismos, pseudorrealidades, realidades paralelas com acesso a drogas, bebidas, e outras formas de dependências mais.

 

» Como Vénus, Neptuno também funciona a um nível emocional. Entretanto, ao contrário da sua irmã mais pessoal, Neptuno ama pelo prazer de amar, não pelas motivações do retorno (ou experiência partilhada), que são uma grande parte dos raios de Vénus. Neptuno ensina que é através do amor puro e desinteressado que o Homem se transforma no "Cristo". Por "Cristo" não quere­mos necessariamente indicar o Senhor Jesus, o Cristo, nem o Senhor Krishna, o Cristo, nem o Senhor Moisés, o Cristo, nem o Senhor Buda, o Cristo, ou qualquer outro Ser específico com este Título. "Cristo" é o nome dado à Alma de um indivíduo que alcançou o estado da Perfeição – isto é, a forma mais elevada que pode assu­mir a Força de Deus, quando encarnada na forma humana.

 

» Na maioria dos casos, Neptuno não pode mostrar as suas vibrações mais elevadas num sentido pessoal. A sua influência no mapa da maioria das pessoas apenas sensibiliza a área do mapa em que está situado, segundo a natureza da sua posição. Se a sua lo­calização entrar em desarmonia com outros planetas, signos ou quais­quer pontos importantes do mapa natal, a vibração de Neptuno será invertida, causando enganos e dissimulações desnecessários. Em seu pior aspeto, Neptuno é a corporificação de fantasias, obsessões e alu­cinações. Neste sentido, vale a pena registar que Neptuno governa o álcool, o fumo e as drogas em geral, especialmente a maconha, o LSD e os demais alucinogénios.

 

» Quando ativo na sua polaridade positiva, Neptuno eleva e sensi­biliza tudo quanto toca, tornando-o muito mais subtil. Ele inspira a criatividade musical e artística, proporcionando ainda uma visão adi­cional de todos os aspetos do trabalho cinematográfico.

 

» Na sua maior elevação, Neptuno produz os verdadeiros místicos do mundo, assim como grandes clarividentes, médiuns e outros indivíduos em contacto com os Mestres e Professores. Neptuno rege a glândula pineal e as partes do sistema nervoso que reagem às impressões psíquicas.

 

Neptuno é o regente de Peixes, sendo intimamente ligado às ques­tões da Casa XII. Relaciona-se a todas as atividades envolvendo o ci­nema, dança, drogas, óleos, cosméticos e o oceano. Também é asso­ciado a contrabandistas, curadores, magos brancos e negros, psíqui­cos e trabalhadores psiquiátricos.

Plutão: o Tranformador da Vida

O glifo contém um círculo representante do espírito, por cima de um semicírculo (mente) e uma cruz (matéria). O criador deste símbolo, o astrólogo Marc Edmund Jones, diz representar “a alma criando espírito fora da matéria”.

 

» O símbolo expressa o total conceito dos processos regenerati­vos de involução e evolução. O círculo do Espírito (durante o pro­cesso involutivo) emite seus raios de vida, que então são absorvidos pela natureza recetiva da alma (semicírculo). Os raios descem ain­da mais, até alcançarem o plano da Terra, onde se manifestam numa particular forma física (a cruz).

 

» No inverso do processo evolu­cionário, as experiências da vida física provocam um despertar de consciência. Tais realizações são assimiladas na alma e depois trans­mutadas nos éteres do Espírito, onde ficam integradas. Então, são novamente enviadas de volta, através da involução, para tornarem a energizar e desenvolver a Terra, a Natureza e o Homem.

 

» Plutão é o mais longínquo e misterioso planeta do sistema solar. A relação da sua gigantesca distância ao Sol com o seu ínfimo tamanho induz à perceção da existência de uma poderosa força gravitacional de atração que mantém a sua órbita atrelada ao Sol. Deriva daí a sua relação com o modo como lidamos com o nosso poder pessoal sobre os outros, ou o poder exercido pelos outros sobre nós. Representa também o poder mágico e radical de transformação e de regeneração pelos quais passamos ou impomos aos que passam pela nossa vida. Mostra como enfrentamos o obscuro e os medos das perdas, morte e renascimento.

 

» Os processos de involução e evolução são contínuos ces­sando neste planeta, enquanto todos os reinos da vida não tiverem alcançado a perfeição de consciência da sua forma particular. Até esse momento, o Homem e todas as demais criaturas nascerão e re­nascerão. Neste processo, as espécies de vida fracas e desnecessárias são transformadas mais fortes e mais ideais. Desta maneira, ca­da geração de humanidade é uma experiência em perceção, como acontece a cada indivíduo. O Homem pode alterar o seu destino atra­vés da direção dada ao poder que ele obtém através de sua perceção. Se ele quiser criar mutações e poluentes, é possível fazê-lo; con­tudo, deve suportar o peso destes estados criados, pelo fluxo de re­torno do Karma.

 

» Marte, a oitava inferior de Plutão, pavimenta o caminho para a mudança. Entretanto, é Plutão a força que transforma a estrutura atómica da vida, a fim de que as várias partículas energéticas pos­sam reagrupar-se na sua nova forma. Marte pode representar o de­sejo sexual do casal, mas é a força de Plutão que une o espermatozoide e o óvulo durante a conceção, para produzir o embrião.

 

» Como ocorre com os outros dois planetas extra-saturninos, as vibrações de Plutão não são sentidas conscientemente ou usadas pe­la vasta maioria de indivíduos, por motivos pessoais. O seu objetivo é fornecer a energia que provoca o colapso de certos bloqueios psi­cológicos, capazes de evitar o crescimento evolucionário.

 

» Por exem­plo, Plutão combinado com a Lua, num sentido negativo, indica que os relacionamentos ligados a raízes étnicas, à mãe ou às mulhe­res em geral, podem ser traumáticos. A combinação pode também indicar uma dificuldade para o rompimento de certos temores na ex­pressão e integração do Eu, em algum determinado ambiente social.

 

» Por outro lado, quando Plutão atua em sentido positivo con­tribui para levar uma força regeneradora à área do mapa na qual está localizado, ou aos planetas com os quais se conecta. Por exem­plo, se Plutão estiver bem aspectado com Júpiter, isto pode signifi­car a capacidade de atualizar ou revitalizar certas doutrinas e filoso­fias. Pode significar, ainda, que a pessoa experimentará alguns eventos de elevação ou mesmo transcendentais, através de viagens ao estran­geiro ou de estudos superiores.

 

» Os efeitos de Plutão talvez pareçam manifestar-se em súbitas explosões mas, como um vulcão, as forças da erupção estiveram a acumular potência durante um longo tempo, antes de culminarem num fluxo de lava.

 

» No corpo físico, Plutão parece ligado às faculdades regenera­doras das células em geral e aos processos dos órgãos reprodutores.

 

Plutão é regente de Escorpião e está intimamente associado às ques­tões da Casa VIII. Também é relacionado à Casa I e a Carneiro. O seu envol­vimento é com atividades ligadas a todas as formas de traba­lho subterrâneo, como minas, cavernas e sistemas fer­roviários que correm abaixo da superfície do solo, além de influen­ciar também as atividades de espiões, detetives e sindicatos de cri­minosos.