Relógio astonomical

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Planeta Lua regente de 2023

 

Estamos a viver um novo ciclo ligado aos 36 anos, desde 2017, porque SATURNO ocupa a “soberania”, comandando os ciclos seguintes, até o ano de 2052. Pela própria experiência que cada um tem na sua vida, mais que não seja a cada fecho de ano, ou de ciclo solar do seu aniversário, os finais de ciclo são importantes e sempre acompanhados de resignações. Se observarmos o fim do ciclo anterior, vamos até 1981 e sabemos pela história o desafio dos anos 80 e 90. Mas, os ciclos repetem-se mas nunca da mesma forma. Ao entrarmos neste retorno do ciclo desde 2017 que observamos uma forte tendência ao abalo de estruturas, da  “soberania” do individualismo nunca a força do EU e de reivindicar os "meus direitos", "minhas escolhas", "minhas regras", "meus desejos", "meu corpo" marcaram tanto esta força.

Assim, depois de Mercúrio em 2022, seguimos para a  Lua como o planeta mais rápido do sistema solar, movimentando-se 13º graus por dia na faixa zodiacal, formando as suas lunações e eclipses, para além de formar o apogeu da Lua Negra e o Nodos. Um planeta que rege a casa IV, as raízes, a Mãe, as heranças ancestrais, os traços psicológicos, o passado, a memória, a nutrição da alma. Muitos autores acreditam que se refere a Alma, aquela saída e entrada nesta dimensão e que carregamos os medos de outrora, para purgar nesta experiência, quase como somos nós que escolhemos nossos País. Na astrologia mundial representa o povo, a casa, a família coletiva, o que rege uma cultura. Ainda representa o signo de Caranguejo, um signo de água, feminino e de grande profundidade emocional, com a sua necessidade de resgatar suas raízes, seu karma, transformando em Dharma. Sugiro a temporada da Netflix "Um Novo Eu" para que possa mergulhar mais fundo na causa/efeito da nossa ancestralidade, algo que vamos vivenciar imenso este ano. Costumo dizer que para um efeito existe uma causa, difícil é encontra-la e depois saber o que fazer com ela!

Neste ano de 2023, onde teremos os eclipses formados por esta Lua com seu companheiro o Sol, através dos nodos lunares, que ainda se mantêm no eixo Touro/Escorpião, mas transitam este ano para o eixo Carneiro/Balança, formam uma quadratura a esta Lua.

Como influencia muito sensível e de forte impacto na psique de cada SER, esta regência do ano lunar, pode levar a muita oscilação, quer a nível individual como coletivo. Afinal as fases da Lua mudam a cada 45ºna roda do ciclo da vida. O povo reivindica a sua estabilidade, segurança, algo que tanto a Lua precisa, como uma forma de alimento ao seu crescimento para o seu oposto, o Capricórnio, poder dar frutos. É como uma arvore, suas raízes precisam estar sólidas para dar estrutura ao seu desenvolvimento, mas a Lua pergunta pelas suas raízes, pelo seu passado, por tudo que traz guardado no seu inconsciente, nas suas emoções, como falamos em Psicossomática, ou em Constelações Sistêmicas, algo que vamos cada vez mais ver a se desenvolver, mas como tudo na vida, temos que ter cautela com as ilusões (Neptuno), com a capacidade de irmos fundo (Plutão) na profunda mudança emocional, a final não é para todos irmos buscar nossa ancestralidade e descobrir que nosso Pai matou, violou, nosso Avó, abandonou etc..... afinal tantos buscam a causa/efeito, para muitos pode ser uma fantasia, para outros uma profunda dificuldade, e para outros a cura!

Cada Ser é um Ser, mas todos ligados em rede, aquela que busca nos conectar aos valores (Urano em Touro) para expandir e resgatar nosso otimismo, esperança, (Júpiter em Touro), em direção a capacidade de AMAR!

O apoio, a união da família (Universal), a necessidade de cuidar de nutrir os mais necessitados, poderão trazer uma nova forma de olharmos aquilo que nos rege, como resgate da nossa verdadeira essência, e sermos capazes de UNIR mais do que separar.

As questões de imobiliário bem presentes nesta influencia, a chamada casa, templo, aquela que nos permite segurança e estabilidade, pode trazer fortes oscilações, algo que já temos como injustiça social, onde poderá este ano, trazer ainda mais instabilidade.

O que conta é o povo, mas o poder hierárquico pode agir de forma contrária, e sofrermos com as constantes alterações económicas.  Algo que já vimos a somatizar alguns anos (ou séculos). Com a guerra, pandemia, fome, e falta de água, precisamos de resgatar as nossas raízes e saber alimenta-las com o cuidado de cuidar e manter. SABER LIBERTAR ACEITANDO O QUE NÃO PODEMOS MUDAR, MAS TER CUIDADO COM A ILUSÃO.

Um ano marcado pela forte oscilação emocional. Que saibamos cuidar, proteger e alimentar nossa família de afeto, amor e coragem, afinal somos todos parte de uma parte MAIOR, mas não podemos cuidar do outro, sem saber como cuidar de nós próprios! 

Isabel Guimarães

www.FACESISABELGUIMARAES.com.png
lua.png
www.FACESISABELGUIMARAES.com (1).png
www.FACESISABELGUIMARAES.com (3).png
www.FACESISABELGUIMARAES.com (4).png
efenerides.png

Zodíaco - As 12 experiências - 2023
Acompanhe no Jornal de Noticias Revista Magazine e canal Zodiaco JN - Mood Magazine e ILoveBrides